Linda

Quem te vê esparramada no sofá com o pijama que ganhou da avó quando tinha 14 anos, não pensa que és grande coisa.

Mal sabem.

Engraçado como a gente se conheceu, no aniversário da sua melhor amiga. Claro que eu não te dei muita atenção naquele momento, estava entretido sendo anti-social com uma amiga (que talvez, ou não, eu estivesse interessado na época) mas, ainda assim, quando cheguei em casa inventei uma desculpa qualquer para poder perguntar teu nome à aniversariante.

De todas as formas és linda. É linda com a cara amarrotada acordando após uma noite de insônia. E linda quando chora e borra toda a maquiagem após um filme besta com final feliz. É linda quando faz um discurso na frente de um auditório lotado defendendo o direito de quem quer que seja. E linda quando apoia a cabeça no meu colo cansada depois de um dia salvando o mundo.

Salvas o meu mundo a cada vez que respiras.

Mas claro que quase nunca digo isso pra você. Porque vais me olhar com aquela cara debochada que só você tem e dizer “É óbvio, eu sou eu”. E é mesmo. Toda vez que me dá uma encoxada quando estou na pia do banheiro seguida de um tapa na bunda. Quando manda uma mensagem do nada mandando eu praquele lugar (que eu sei que significa que está com saudades). Sempre quando fica acordada estudando comigo a noite toda para uma matéria que nem do teu curso faz parte, eu sou mais teu.

Essa mania chata de conhecer todas as músicas que eu gosto. O jeito como tens uma memória fraca pra tudo que não te importa. A preocupação em fazer com que todo mundo ao teu redor esteja bem, mesmo que isso te custe a própria felicidade. A forma como para de falar no meio de uma frase e me abandona esperando pelo final enquanto vai fazer qualquer outra coisa. O modo desajeitadamente atrapalhado que leva a vida.

O jeito que teu lábio encosta no meu e faz meu coração palpitar e ao mesmo tempo deixa minha alma mais leve.

Ah, menina.

Não sei em que momento de insanidade achaste que eu era companhia suficiente pra você. E, ainda que não pareça, eu tento todo dia me tornar merecedor. Estou sempre com um livro pra aprender a escrever tão bem quanto você. Sempre ouço as músicas que você manda porque são (quase) sempre muito boas. Tento sempre esperar o melhor das pessoas e tratar todos da melhor maneira. Porque você me mostra todo dia que ainda existem pessoas pelas quais vale a pena existir.

Agora deixa o teu livro da Clarice aí na escrivaninha e vem aqui na cama me amar.