Uma Delas.

Eu quero ser uma Delas.

Mas o que exatamente isso significa, Ofélia?
Exatamente isso que eu disse. Uma Delas.

Mas quem são Elas?, você me pergunta.

Ser uma delas é ter a permissão pra me olhar no espelho e sentir o que eu sinto quando olho para elas. É olhar pra aquele monte de maquiagem e não ver uma máscara, mas sim um potencializador do que eu já tenho, já sou. É olhar pra aquela roupa que eu normalmente não me permitiria usar em qualquer ocasião simplesmente por achar que não posso. Não mereço.

É como se dentro da minha cabeça tivesse eu e aquela vilã de série adolescente que não consegue ver alguém ser melhor do que ela e tem que acabar com isso. Só que Elas não são vilãs. São Elas. Tanto que são várias, e a maioria nem se conhece. (Talvez, na verdade, elas estejam associadas em alguma forma, como um selo secreto da Deusa que agraciou a Elas com essa beleza de ser e existir que eu acho que me falta)

Só que essa vilã, na verdade, sou eu. Mas só eu que sofro. Eu mesma tiro de mim a chance de botar aquilo que eu acho que uma Delas acharia legal… que me faria menos Eu…

…e mais Elas.

Talvez isso tudo seja tolice. Talvez eu não seja uma delas por simplesmente não ser tão exatamente assim: tão bonita. Tão dona de mim. Dona de minhas ações. Ser eu sem remorsos ou medo. Talvez eu nem deva ser eu sem remorsos depois de tanto tempo tendo aquela vozinha de dentro (ou de fora?) que diz que ser quem eu sou, do jeito exato que eu sou…  é errado.

Não é…exatamente como deveria ser

Como eu deveria querer ser

Como eu deveria tentar ser.

(mas não sou)

wp-1467414621824.jpg